A minha busca pelo novo desporto perfeito quase terminou.

Este fim-de-semana aconteceu o Ironman 70.3 de Cascais e nunca vi tanta camaradagem e espírito de entreajuda.

Começando pelos atletas, conheço pouco desportos em que atletas desconhecidos ajudem estranhos a vestir-se. No triatlo isso é a normalidade. Não tem conta os atletas que pediam a quem passava para ajudar a vestir o fato. Em décadas de running nunca vi ninguém a ajudar ninguém a puxar calções para cima, por exemplo.

Durante a prova a camaradagem continua, não só entre amadores mas também nos profissionais. Todos em filinha atrás uns dos outros a pedalar 1 a 1 juntinhos sem ultrapassar a mais de 12 metros de distância. Tão perfeitos que parecia natação sincronizada.

Até entre empresas concorrentes existe proximidade e companheirismo, com o Challenge Lisboa a parabenizar todos os atletas que sobreviveram ao ironman 70.3 de Cascais. Não sei se estavam a ser irónicos ou a piscar o olho à marca para em 2019 fazerem o primeiro 140.6 em Portugal. A experiência já têm, é só abrir as inscrições para o Ironman Moscavide.

No entanto no melhor pano cai a nódoa. Tinha tudo para ser perfeito mas desclassificaram alguns atletas só porque não cumpriram o regulamento, e por isso a minha busca prosseguirá..