3ª Classificada no UTMB teme pela vida depois de protesto no UTMB.

É uma das imagens que vai ficar do Ultra Trail du Mont Blanc 2016. Uxue Fraile colocou um nariz de palhaço para apoiar os atletas sem sentido de humor e, agora, teme pelo regresso a casa.

Uxue Fraile  terminou os 170km do UTMB , no domingo, em terceiro lugar. Quando se preparava para cruzar a linha de meta, colocou um nariz de palhaço, num gesto que tem como objectivo protestar contra os atletas sisudos.

“Os atletas sem sentido de humor vivem uma situação bastante perigosa. Passam meses sem sorrir e correm o risco de perderem expressão facial para sempre”, disse a atleta no final da prova.

Embora este tipo de manifestação não esteja proibida, já tendo inclusive, uma vez, um atleta cruzado a meta com a bandeira do Sporting, os maiores receios, neste momento, prendem-se com o regresso ao seu país.

Em Espanha não há o famoso espirito do trail que se vive por exemplo em Portugal em que todos são amigos e gostam uns dos outros. “Se eu voltar vão querer roubar-me o nariz como se faz às crianças fazendo figas e eu já sei que vou ficar com o nariz em sangue de tanto me fazerem este movimento.”

Ricardo Silva

Eu sou o Ricardo Silva e este é o meu blog …ou site ou sítio ou o que lhe quiserem chamar. Estou aqui para vos motivar, para vos ensinar cenas sobre corrida, running e algum jogging, para relatar os meus treinos e da minha crew, para vos ajudar a superar tudo e todos e para irem até ao infinito e mais além. A minha carreira como corredor começou muito cedo. Na zona onde eu vivia os jovens tinham por hábito atirar ovos no carnaval, e eu odeio ovos. Por isso treinava sempre o ano inteiro para chegando o entrudo conseguir ir de casa para a escola e vice-versa sem levar com um ovo na tola. Posso dizer que fui sempre bem-sucedido nesta matéria e até hoje nem 1 ovo aterrou na minha cabeça. Com o passar dos anos e a entrada para a faculdade a minha motivação para a corrida passou a ser outra. Tinha de apanhar 1 autocarro, 1 comboio, e barco e novamente um autocarro para chegar à faculdade. A margem de erro era mínima por isso tinha de andar sempre a correr para garantir que não perdia nenhum destes transportes. Hoje em dia corro porque está muito na moda. Toda a gente corre e tem roupas fluorescentes e perneiras e aparelhos cardíacos e palmilhas e dorsais e medalhas e empenos e geles e isotónicos e tudo e tudo e eu também preciso disso na minha vida. No meu currículo tenho provas de 3000m, mini maratonas de 4000m, provas de 10km e triatlos na distância de sixteenth-ironman entre outros. O meu objectivo na vida e na corrida é continuar a ser igual a mim próprio e evitar assaduras.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: