Boa noite corredores,

Estive até à ultima da hora indeciso entre ir ou não à São Silvestre da Amadora pois o desgates das outras 2 São Silvestre (Santa Maria Maior e Lisboa) estava ainda presente, no entanto decidi dia 30 ir inscrever-me.

Assim sendo tive de pagar o preço mais elevado de inscrição, foram 15€ e um pastel de nata.
Não havia troco na sede do Rangel então tive de comprar um pastel de natal para trocar uma nota de 20€.
Um pouco caro por um saco técnico, uma t-shirt e uma treta de revista* gratuita, mas é bem feito para ver se aprendo a inscrever-me com antecedência.

Devido a esta indecisão não tive tempo para estudar a aletria da prova e ninguém me avisou ao que ía.

A São Silvestre da Amadora é uma prova de cavalheiros. Nunca tinha ido a nenhuma prova assim, mas nesta a partida das senhoras é 10 minutos antes dos homens. Talvez por esse motivo quando chegou a vez dos senhores arrancarem, sairam com tal brutalidade que se embrulharam logo e foram uns quantos ao chão e desistiram logo ali.

Em relação à prova, tem muitas subidas, muitas descidas, e tem muito público. Talvez a prova a que fui em todos os meus anos de atletismo com mais público. Desta vez ao contrário da São Silvestre de Lisboa tinham trocado as pilhas ao publico e ouvia-se bem as suas manifestações. Os miudos pediam hi-fives, os graúdos gritavam pelos seus conhecidos e familiares, outros estavam ali só mesmo pelo espetáculo.

A prova em si até me correu bem, não parei nunca, tive direito a água e apareço na classificação. Adorei as luzinhas que colocaram no chão em determinadas zonas do percurso.
Para terminar o ano foi a prova ideal pois serviu para perceber que consigo correr muito mais rápido a descer do que a subir.

*Em 2016 vou mas é tentar inscrever-me só em provas que o kit de participação inclua revistas com a Ercília Machado na capa.