Carta de um corredor ao Pai Natal

Querido Pai Natal,

Este ano portei-me muito bem e fui um lindo corredor.

Fui a muitas provas e algumas delas até paguei a inscrição. As que não paguei foi porque ganhei dorsais em passatempos.

Todas as provas em que participei, coloquei as garrafas de água que tive direito num dos contentores que se seguiam ao abastecimento, ou em alguns casos em que falhei a garrafa ficou lá bem pertinho para os meninos poderem agarrar.

Todas as Distance Running e Sportlife que me ofereceram coloquei na reciclagem bem como folhetos de provas em Vimioso e arredores. Não tenho nada contra vimioso que até deve ser bem bonito mas é longe e eu enjoo no carro e vomito nas curvas.

Fui a treinos sociais e a treinos anti-sociais, dei mensagens de apoio a atletas mais fracos e fiz de conta que não ía a morrer quando passavam corredores mais fortes.

Participei em triatlos e fui aplaudir atletas de outras provas, não enviei mensagens de ódio para a Asics embora se tenha rasgado 2 pares de ténis exactamente no mesmo sitio ao fim de 150km.

Ofereci batata-doce e criei um blog com dicas e motivações.

Corri em estrada, em alcatrão e até em Monsanto e nas montanhas do Jamor.

A única coisa em que falhei foi no final de correr nunca ter feito alongamentos, mas podes dar-me na mesma os presentes? Juro que não fiz crossfit!

Em relação a prendas gostava de receber uma unha para o segundo dedo do pé esquerdo, não é que me faça falta mas não fica bonito e agora está naquele momento em que já só esta presa por uma pontinha mas eu tenho medo de arrancar e ontem quando vestia as calças esqueci-me de por as meias primeiro e a unha tocou nas calças por dentro quando eu as puxava e levantou e pareceu-me que estava ligada ao cerebro e fiquei todo arrepiado.

Obrigado.

Ricardo Silva.

P.S.: Desculpa a imagem que escolhi para o post mas a culpa é do banco de imagem, eu só escrevi “santa claus runner”.

Ricardo Silva

Eu sou o Ricardo Silva e este é o meu blog …ou site ou sítio ou o que lhe quiserem chamar. Estou aqui para vos motivar, para vos ensinar cenas sobre corrida, running e algum jogging, para relatar os meus treinos e da minha crew, para vos ajudar a superar tudo e todos e para irem até ao infinito e mais além. A minha carreira como corredor começou muito cedo. Na zona onde eu vivia os jovens tinham por hábito atirar ovos no carnaval, e eu odeio ovos. Por isso treinava sempre o ano inteiro para chegando o entrudo conseguir ir de casa para a escola e vice-versa sem levar com um ovo na tola. Posso dizer que fui sempre bem-sucedido nesta matéria e até hoje nem 1 ovo aterrou na minha cabeça. Com o passar dos anos e a entrada para a faculdade a minha motivação para a corrida passou a ser outra. Tinha de apanhar 1 autocarro, 1 comboio, e barco e novamente um autocarro para chegar à faculdade. A margem de erro era mínima por isso tinha de andar sempre a correr para garantir que não perdia nenhum destes transportes. Hoje em dia corro porque está muito na moda. Toda a gente corre e tem roupas fluorescentes e perneiras e aparelhos cardíacos e palmilhas e dorsais e medalhas e empenos e geles e isotónicos e tudo e tudo e eu também preciso disso na minha vida. No meu currículo tenho provas de 3000m, mini maratonas de 4000m, provas de 10km e triatlos na distância de sixteenth-ironman entre outros. O meu objectivo na vida e na corrida é continuar a ser igual a mim próprio e evitar assaduras.

2 thoughts on “Carta de um corredor ao Pai Natal

%d bloggers like this: